Quem é Quem
Gottfried Tobler

Gottfried Tobler, M60, AUT


[Gottfried com a sua esposa, Barbara, e a filha, Bati Tobler, que também vêm competir em Portugal. Foto tirada durante o WMOC 2006, de que Gottfried foi director. A felicidade está espelhada nos seus rostos, no encerramento de uma competição tão bem sucedida.]

O senhor foi Director do WMOC 2006 na Áustria, que Jörgen Mårtensson considera ter sido "um dos mais bem organizados eventos de grande dimensão" realizados até agora nesta modalidade. Que dificuldades teve e como as ultrapassou? Que sensação experimentou na cerimónia de entrega de prémios, depois de um evento tão conseguido?
Obrigado pelos elogios. Penso que a nossa maior dificuldade foi obter autorização para usar as florestas privadas austríacas. As florestas no nosso país têm variados donos, pelo que tivemos de trabalhar com cerca de 1000 pessoas diferentes. Felizmente, os donos das florestas da Baixa Áustria estavam muito entusiasmados e ajudaram, tal como o têm feito nos últimos 25 anos. Durante a cerimónia de entrega de prémios senti-me muito gratificado. Por a competição ter decorrido pacificamente, por não ter havido lesões graves e por, em geral, ter sido um evento positivo e uma experiência engraçada.

Qual foi o principal trunfo do Masters de Wiener Neustadt? Quantas pessoas trabalharam nas diferentes equipas? Quando pensou pela primeira vez candidatar-se à organização? E quando começou a trabalhar para o evento?
Uma das nossas principais vantagens foi a própria paisagem. Após procurar durante dois anos, encontrámos locais que providenciavam um desafio aos atletas e um bom lugar para os espectadores poderem apoiá-los. Houve cerca de 250 pessoas a trabalhar juntas na organização do evento. A maioria era do nosso clube local, o que favoreceu imenso a cooperação dentro de cada grupo e nos grupos entre si. Concorremos ao WMOC em 2001 porque o clube andava à procura de um novo desafio e sabíamos que a Baixa Áustria era um excelente local. O dia em que decidimos candidatar-nos ao evento foi também o dia em que começámos a trabalhar. Em 2003 reformei-me do meu cargo como director de uma escola e consegui assim concentrar-me exclusivamente na organização do evento de 2006.

Reparei na sua presença em Itália 2004 e no Canadá 2005. Naturalmente, não estava lá apenas como um mero atleta - era um observador especial. O que "aprendeu" em Asiago e Edmonton de forma a melhorar ou evitar problemas em Wiener Neustadt? Gostou desses eventos?
Sim, gostámos muito desses eventos. Mas estávamos lá como um grupo para observar a organização e também identificar algo que gostássemos de mudar para o evento de 2006. Cada local tem os seus problemas logísticos, por exemplo, as longas distâncias entre o centro do evento e as áreas de competição, ou a existência de um adequado sistema de transportes.

No último WMOC, livre de responsabilidades organizativas, pôde viver a orientação de forma despreocupada. Que recordações tem da Finlândia 2007? Fez boas provas? Gostou do ambiente?
A Finlândia foi para nós puro entretenimento. O ambiente do evento foi maravilhoso, pudemos relaxar e sermos participantes em vez de organizadores. Para além disso, temos em Ruka (Kuusamo) bons amigos que conhecemos desde 1995 através de uma parceria escolar.

Qual foi para si o melhor evento (tirando o WMOC 2006!!) onde já esteve?
Os pontos altos são demasiados para poder referi-los aqui, cada evento deixou-me, à sua maneira, agradáveis memórias.

Prague Easter, Meeting de Veneza, Highland Open (Itália), Thermenland e Lipica (Eslovénia), Jurisics Cup (Hungria), Midnattssolgaloppen (Noruega), Barebones (Canadá)... Recorda-se de algo em especial destas viagens de orientação?
Divertimo-nos sempre durante os eventos e às vezes junta-se tudo - o clima, o local, as pessoas - isso torna-os perfeitos. Na Noruega, durante o Midnattssolgaloppen 2007 em Tromsø, pudemos competir durante a noite nórdica com um limpo céu azul e à luz do dia. Foi uma experiência muito especial. Os Barbones no Canadá trouxeram-me recordações de infância quando lia Karl May e imaginava as colinas onduladas, as pradarias e talvez uma tribo índia e alguns bisontes.

Imagino que os resultados não serão o mais importante para si...
Os resultados não são definitivamente a minha prioridade. O importante para mim é desfrutar do desporto e encontrar muitos amigos, novos e velhos.

Como supervisor internacional, de que evento tem melhores recordações?
Não tenho muita experiência nessa função. No entanto, fui supervisor nos Campeonatos Europeus de Jovens, em Eger (Hungria) e gostei muito desse evento.

Barbara Tobler (W60) e Bati Tobler (W35) vêm consigo ao WMOC. Quer apresentá-las? Nas provas da Áustria também podemos encontrar Michael e Gabriela Tobler...
A minha esposa Barbara é a minha melhor metade. Foi ela que me convenceu a organizar o evento de 2006. A minha filha Bati começou a competir quando era uma jovem rapariga. Participou em 2 WOC e ganhou uma medalha de bronze nas estafetas do Mundial Universitário de 1994 na Suíça. O nosso filho Michael foi membro da selecção austríaca de elite durante muitos anos, sendo desta forma que a sua esposa, Gabi, conheceu a orientação.

Como descobriu a orientação? Lembra-se das suas primeiras provas?
Há 30 anos o Exército austríaco ofereceu cursos de iniciação aos professores e alunos interessados. A minha primeira prova foi uma nocturna em Viena. Como era de esperar, eu não tinha todo o equipamento necessário e tive de ler os mapas usando os candeeiros das ruas. Uma vez que estava a ensinar numa escola virada para o desporto, foi fácil criar um grupo de orientação dentro da escola.

Pode dar-nos uma imagem rápida da orientação na Áustria? Quem são as estrelas da Elite? Quantas provas têm por ano? Quantos atletas em média? Qual a importância do seu clube no contexto austríaco?
Na Áustria, a orientação tem de competir com desportos fortemente enraizados como o futebol e o esqui. No entanto, tenho a sorte de ser o presidente do maior clube da Áustria, o HSV OL Wiener Neustadt. Na Áustria temos provas todos os fins-de-semana, com 500 a 600 atletas nas nacionais e cerca de 200 nas locais. As nossas estrelas da Elite são Thomas Krejci, Gernot Kerschbaumer, Markus Lang, Pierre Kaltenbacher, Anita Seeböck e, claro, Lucie Böhm.

O Gottfried e a Barbara também praticam esqui. Gostou do ski-WMOC em Janeiro passado na Suíça? Foi um bom evento? Como foram os seus resultados?
Gostamos muito de ski-O, o que também significa que temos de viajar até aos eventos, pois não há neve suficiente na nossa área. O local do ski-WMOC 08 na Suíça era espectacular, é uma das nossas áreas preferidas para fazer esqui de fundo.

Em Março esteve nos Campeonatos de Espanha em Múrcia, terreno que talvez já conhecesse do Mundial de Veteranos de 1996. Participou noutros eventos ou treinos durante essa viagem?
Este ano, durante as férias da Páscoa, 35 de nós fomos a Guardamar [Alicante] para treinar em terreno de areia como preparação especial para o WMOC em Portugal. Esta foi a primeira vez que o nosso clube organizou um treino especial em Espanha.

Que espera do WMOC 2008? Já alguma vez competiu em Portugal?
Estamos à espera de um evento diferente e muito interessante. Este terreno não nos é completamente novo, pois a Barbara e eu já corremos nele antes. Mas cada evento tem o seu próprio ambiente e traz consigo as suas memórias especiais.

(Entrevista de Manuel Dias. Perguntas e respostas por e-mail. Recebido a 4 Abr 2008. Tradução de João Ferreira.)


[2008-06-20] Carlos Monteiro, WMOC Event Director

[2008-06-20] Dieter Wolf, M55, SUI

[2008-06-19] Timo Teinila, WMOC speaker

[2008-06-19] Jorge Simões, WMOC Event Director assistant

[2008-06-18] Blair Trewin, M35, AUS

[2008-06-18] Mariett Matias, WMOC Media responsible

[2008-06-17] David May, WMOC Senior Event Advisor

[2008-06-16] Gottfried Tobler, M60, AUT

[2008-06-16] Tuulikki Salmenkylä, W45, FIN

[2008-06-16] Arvo Majoinen, M80, FIN

[2008-06-14] Fernando Costa, WMOC Marketing responsible

[2008-06-13] Sarah Dunn, W40, GBR

[2008-06-12] Santos Sousa, WMOC planner

[2008-06-11] Sigurd Daehli, M55, NOR

[2008-06-10] Alexandre Reis, WMOC mapper and planner

[2008-06-09] Nick Duca, M40, CAN

[2008-06-07] Tiago Aires, WMOC mapper and planner

[2008-06-06] Irina Stepanova, W55, RUS

[2008-06-05] Luís Sérgio, WMOC mapper

[2008-06-04] Ari Kattainen, M50, FIN

[2008-06-03] Rui Antunes, WMOC Mapping coordinator

[2008-06-02] Jon Musgrave, M45, GBR

[2008-05-31] Jacinto Eleutério, WMOC Course coordinator

[2008-05-30] Rune Carlsson, M70, SWE

[2008-05-29] Åke Jacobson, Presidente da IOF

[2008-05-29] Augusto Almeida, Presidente da FPO

[2008-05-28] Jurate Uleviciene, W55, LIT

[2008-05-26] Vladimir Ioffe, M70, ISR

[2008-05-23] José Fernandes, M45, POR

[2008-05-21] Ezio Paris, M55, ITA

[2008-05-19] Gabriella Györffy, W40, HUN

[2008-05-16] Alberto Minguez, M40, ESP

[2008-05-14] Tomas Zdrahal, M55, CZE

[2008-05-12] Paulo Becker, M45, BRA

[2008-05-09] Ingrid Roll, W70, NOR

[2008-05-07] Jerzy Parzewski, M55, POL

[2008-05-05] Hugh Moore, M60, AUS

[2008-05-02] Martin Checkley, M55, GBR

[2008-04-30] Etienne Bousser, M60, FRA

[2008-04-28] Andreas Grote, M40, SUI

[2008-04-24] Liudmila Labutina, W65, RUS

[2008-04-22] Freddy Sillien, M60, BEL

[2008-04-17] Tomislav Kaniski, M35, CRO

[2008-04-14] Eero Tuuteri, M85, FIN

[2008-04-10] Lena Nordahl, W80, SWE

[2008-04-07] Albano João, M45, POR

[2008-04-03] Tom A. Karlsen, M55, NOR

[2008-03-31] Kayoko Sakai, W55, JPN

[2008-03-27] Finn Arildsen, M45, DEN

[2008-03-24] Anne Nurmi, W45, FIN

[2008-03-20] Peo Bengtsson, M75, SWE

[2008-03-17] Alida Abola, W50, LAT

[2008-03-13] Matti Railimo, M60, FIN

[2008-03-10] Cornelia Eckardt, W35, GER

[2008-03-06] Joaquim Sousa, M35, POR

[2008-03-03] Birgitta Olsson, W75, SWE

[2008-02-20] J. Salmenkylä, M75, FIN

[2008-02-18] Torid Kvaal, W65, NOR

[2008-02-15] Mykola Bozhko, M55, UKR

[2008-02-13] Pavlina Brautigam, W45, USA

[2008-02-11] Ferran Santoyo, M35, ESP

[2008-02-08] Sole Nieminen, W80, FIN

[2008-02-06] Stefano Galletti, M40, ITA

[2008-02-04] Gillian Ingham, W50, NZL

[2008-02-01] Jörgen Mårtensson, M45, SWE

[2008-01-30] Tom Hiltebrand, M50, SUI

[2008-01-28] Baiba Ozola, W40, LAT

[2008-01-25] Eddie Harwood, M55, GBR

[2008-01-23] Marje Viirmann, W45, EST

[2008-01-21] Alexander Afonyushkin, M40, RUS

[2008-01-18] Paulina Majova, W55, SVK

[2008-01-16] Björn Linnersjö, M65, SWE

[2008-01-15] Lillian Røss, W85, NOR

[2008-01-10] Tapio Peippo, M55, FIN

[2008-01-07] Elizabeth Brown, W90, GBR

[2008-01-04] Erkki Luntamo, M90, FIN

 
Parceiros:
Câmara Municipal de LeiriaCâmara Municipal de AlcobaçaCâmara Municipal da Marinha GrandeCâmara Municipal da NazaréJunta de Freguesia de PataiasJunta de Freguesia de CoimbrãoJunta de Freguesia de Vieira de LeiriaSecretaria de Estado da Juventude e do DesportoDirecção-Geral dos Recursos FlorestaisMinistério da Educação
Turismo de PortugalRegião de Turismo Leiria/FátimaExército PortuguêsConfraria de Nossa Senhora da Nazaré

Apoio:
Instituto do Desporto de PortugalSALITUR / BUDGETRGBimageSilvaSanap AmbienteDelta CafésDom Porco - Salsicharia Tradicional

Água Oficial:
Vitalis

Banco Oficial:
Montepio

Controlo Oficial:
SPORTident

Transportadora Oficial:
TAP Air Portugal

Media Oficial:
RTP - Radiotelevisão PortuguesaRadio 94 FMTravel Channel

Revista Desportiva Oficial:
Sportlife